Empresário Daniel Randon abriu o Seminário na Mercopar

Indústria 4.0 já é realidade na Serra Gaúcha

“Vivemos um cenário desafiador em vários segmentos da nossa economia, por isso a transformação é mais que urgente, é necessária”. Desta forma, o coordenador do Conselho de Inovação e Tecnologia da FIERGS (Citec), Daniel Randon, abriu, na quarta-feira (02), o Seminário “Impactos e Oportunidades da Quarta Revolução Industrial”, no segundo dia da Jornada 4.0 que acontece junto à 28ª edição da Feira de Inovação Industrial – Mercopar, em Caxias do Sul.

Randon salientou que na maior parte das vezes, essa inovação ocorre pela implantação de ideias simples e eficientes apoiadas por mudanças tecnológicas e sociais. “Devemos dar o primeiro passo. Na Serra Gaúcha temos o DNA do empreendedorismo muito forte e estamos aptos a buscar novos mercados para mantermos a competitividade local”, ressaltou ele. Para o empresário, a Indústria 4.0 já é uma realidade, com tecnologias acessíveis a todos os portes de empresas e a possibilidade de experimentar novas oportunidades. “Tudo isso vai muito além da automação e nos faz refletir sobre um novo jeito de fazer, utilizando novas ferramentas tecnológicas que estão contribuindo para a redução de custos, criação de novos produtos e aumento de produtividade”, refletiu.

Dados da ABDI (Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial) indicam que a redução de custos anuais, por meio da Indústria 4.0, será de 73 bilhões de reais por ano, entre ganhos de eficiência, custos de manutenção de máquinas e economia de energia. “Devemos estar preparados para esse movimento de inovação dentro das empresas, envolvendo as lideranças e buscando parcerias. E isso está ligado ao novo mindset, com a abertura de novas formas de pensar e agir”, ressaltou. Randon lembrou que quando fala em parcerias, refere-se, por exemplo, a startups, com a inovação sendo implantada de forma mais rápida e qualificada na indústria. O empresário explicou que a união de esforços para a implantação da Indústria 4.0 levou à criação da Rede RS, uma plataforma para incentivar e integrar fornecedores de soluções tecnológicas.

Já o conselheiro do Citec, Carlos Martini, destacou a necessidade de desmistificação da Indústria 4.0, com a eliminação de processos desnecessários, zerando trabalhos repetitivos e insalubres e liberando empregos que exijam maior qualificação por meio do ensino e educação: “O Sesi e o Senai têm um papel fundamental nessa capacitação. Podemos cortar custos em vários setores, menos na educação”, complementou Martini.

No Seminário, o vice-presidente da Associação Brasileira de Máquinas e Equipamentos (ABIMAQ), Hernane Cauduro, lembrou a formação da Rede RS, uma forma de agregar conhecimento em um mesmo lugar. “A Rede RS nasceu da união de vários entes, unindo a academia, por meio das universidades, as entidades representativas de empresas e outros, com o objetivo de conectar e proporcionar um ambiente de acesso à informação para a entrada ao ecossistema da Indústria 4.0, permitindo a geração de novos negócios”, observou o empresário. Desta forma, os interessados contarão com a Rede RS que indicará a tecnologia e fornecedores para implantação da automação, além do acompanhamento do projeto de transformação e capacitação de pessoal nas novas tecnologias.

O analista técnico do Instituto Senai de Tecnologia em Mecatrônica, Felipe Marcolin, apresentou alguns projetos que comprovam a possibilidade de qualquer tipo de empresa chegar ao patamar da Indústria 4.0. “Realizamos a conexão dos ambientes digitais e físicos, com informações em tempo real. Por exemplo, com essa integração, podemos obter informação de qualquer máquina, em qualquer lugar do mundo”, exemplificou o painelista.

O Seminário foi encerrado pelo consultor do Sebrae Nacional e Confederação Nacional da Indústria, Roberto Vermulm, que abordou o tema “Riscos e Oportunidades para as empresas brasileiras diante de inovações disruptivas: uma visão a partir do Estudo Indústria 2027”.

O sucesso da realização da primeira edição da Jornada 4.0 idealizada no ano passado pela FIERGS foi determinante para que, neste ano, o evento acontecesse junto à Mercopar, em Caxias do Sul. Ligada a empresas de tecnologia direcionadas para a indústria, a ação se desenvolve durante os três dias da feira, no Centro de Feiras e Eventos Festa da Uva. O evento contou com a presença do secretário de Governança e Gestão Estratégica do RS, Cláudio Gastal.

De Zotti Comunicações
Foto: Eduardo Rocha

Veja também

15 Startups gaúchas para ficar de olho em 2020

LEIA MAIS

Um olhar sobre inovação em economia digital nos EUA

LEIA MAIS

Tendências do setor metalmecânico para as pequenas indústrias 2019/2020

LEIA MAIS

Energia eólica já produz o equivalente a uma Itaipu no Brasil

LEIA MAIS

Notícias

Mercopar registra R$ 65 milhões em negociações realizadas pelos expositores e nas rodadas de negócio

Mercopar registra R$ 65 milhões em negociações realizadas pelos expositores e nas rodadas de negócio

Resultado foi 21% superior ao de 2018, o que demonstra a reação do setor industrial ...

LEIA MAIS
Sicredi Pioneira RS comemora sucesso na Mercopar

Sicredi Pioneira RS comemora sucesso na Mercopar

Palestras e interação com o público marcaram participação da cooperativa de crédi...

LEIA MAIS
Pix Force e Prakaranga são as grandes vencedoras do Sebrae Like a Boss

Pix Force e Prakaranga são as grandes vencedoras do Sebrae Like a Boss

Desafio levou 18 startups ao palco do Salão da Inovação na Mercopar Foi em cl...

LEIA MAIS
Movimento intenso e satisfação nos corredores da Mercopar

Movimento intenso e satisfação nos corredores da Mercopar

Os corredores lotados no último dia da Mercopar comprovam o sucesso da edição 20...

LEIA MAIS
Ver todas as notícias
Realização

Realização