No Salão de Inovação da Mercopar, dica para encaminhar o material excedente

Caxias do Sul/RS – Um dos problemas que a indústria enfrenta atualmente é o destino das sobras de sua produção. O que fazer com o excedente de matéria-prima, com parte do que foi produzido e que, por algum motivo, não pode ser aproveitada? Ou ainda, quando houve uma mudança na decoração da empresa e boa parte dos móveis antigos pode ser descartada, o que fazer? Já pensou que estes materiais podem ser transformados em fonte de receita? Foi pensando nisso que surgiu O Sucateiro, uma plataforma digital que faz a intermediação entre quem precisa se “livrar” de resíduos e quem pode aproveitar esse material de alguma forma, como reciclagem, por exemplo. O Sucateiro é uma das empresas que participaram do Salão de Inovação, um dos espaços da 27ª edição da Mercopar, em uma série de atividades promovidas para aproximar micro e pequenas de grandes empresas.

Operando desde 2016, O Sucateiro surgiu quando um de seus diretores, que já atuava com outro empreendimento, percebeu, durante viagens pelo mundo todo, o quanto o material excedente atrapalhava as indústrias. “Isso ocorreu depois de mais de 1,5 mil visitas em 24 países. Assim surgiu a ideia de fazer esse material circular gerando lucro”, conta o diretor de Marketing d´O Sucateiro, Rafael Nonemacher. Ele revela que, em um primeiro momento, a empresa se autodenominava como “vendedora de estoque parado”. No entanto, diz, percebeu-se que era muito mais que isso. “Porque não era somente a sobra de produção que podíamos intermediar. Qualquer item sem utilidade dentro da indústria pode ser vendido por meio de nossa plataforma”, explica Nonemacher.

RECEITA – Apesar disso, os itens que mais giram no site d´O Sucateiro correspondem à região em que a empresa está instalada. O polo metalmecânico ainda responde pelo maior volume com peças de aço e sucata de metal, de uma forma geral. Por outro lado, conta o diretor, há setores bem distantes disso, como a moda. “A moda é uma área onde existem mudanças muito rápidas, coleções trocam a cada semestre e os estoques ficam trancados, a saída é vender, ainda que por um preço bem abaixo do mercado, para ter o mínimo de receita com itens que não sairiam do depósito, o que deixa quem compra bastante satisfeito também”, conta Nonemacher.

Poder falar de tudo isso em um ambiente como a Mercopar, deixa o jovem diretor com boas expectativas. Participar do Salão de Inovação é estar em um contexto de colaboração muito longe da competição. “Não nos vemos como concorrentes. Estar aqui conhecendo o que outras startups fazem, e falar também do nosso trabalho, cria uma rede de crescimento e desenvolvimento que beneficia a todos”, completa.  O desafio Sebrae Like a Boss foi uma das atividades das quais O Sucateiro participou, ficando como terceiro colocado. Para conhecer mais d´O Sucateiro, acesse o site www.osucateiro.com .

A Mercopar é promovida pelo Sebrae RS com o apoio institucional da Fiergs, no Centro de Eventos da Festa da Uva.

De Zotti – Assessoria de Imprensa
Fotos: Eduardo Rocha/Mercopar